sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Dionisíacas

Meu amor dura um acorde. A espiral da serpentina. O tempo que leva o confete para cair dos seus cabelos. Meu amor é profundo como o som dos tambores e é efêmero, ilusório, tão inconstante quanto o Carnaval...

4 comentários:

Eudiza Quevedo disse...

No que estava lendo suas palavras pegou uma lembranca bem forte dos cheiros de Salvador. Com o tambor senti o sabor de uma moqueca de camarao em Boipeba e com a chegada da saudade lembrei um por do sol, num domingo na Ribeira com meu sorbete de leite quemada na boca. Obrigada por me ativar a memoria. Beijao!

Andreia Santana disse...

Obrigada por dividir comigo as suas tão ricas memórias!

carlos santana disse...

interessante como a tua capacidade de autoconhecimento cresce à medida que se multiplicam as tuas reflexões.

Andreia Santana disse...

É a idade caco. com o passar dos anos, dizem, nos tornamos mais sábios