sábado, 7 de junho de 2008

Manifesto contra a acomodação

Eu choro pela omissão do mundo
choro pela incapacidade das pessoas em reagir
choro ainda mais, porque elas sequer percebem
que são devoradas dia a dia pela inércia.

Mas em meio às minhas tantas lágrimas
que não são em tempo algum de acomodação
prefiro me consumir no fogo do movimento
e tirar forças até mesmo do meu tormento
a desistir de viver estando ainda viva
a ficar parada, esperando o vazio
se tudo ao meu redor é pura ação.

2 comentários:

pequenasdigressoes disse...

No meio da inércia, há quem provoque. Essa função de provocar é das mais dolosas, das mais difíceis e das mais belas... mas um dia, o homem envelhece e cansa. E o prazer torna-se dor. E a dor pode até derrubar... Mas há quem resista de pé. Há quem caia, mas levante. E nem preciso dar exemplos.

ari donato disse...

Quem não chora...
Diga a mim, minha amiga
e eu direi, fora....
não acredito, é mentira.